Cartas para o Bem Viver: leia e compartilhe

Cada momento pode ser único em nossas vidas. Hoje tive vários momentos importantes e um deles foi ter o privlégio de acompanhar virtualmente o lançamento do livro “Cartas para o bem viver”, publicado pela editora Boto Cor de Rosa Livros, Arte & Café. Participo desse livro que foi organizado por Rafael Xucuru-Kariri e Suzane Lima Costa. O lançamento contou com a participação de Ailton Krenak e Angela Mendes (filha de Chico Mendes), entre outros autores.

O release enfatiza que se trata de um livro de “cartas-urgentes”, como dizem Suzane Lima Costa e Rafael Xucuru-Cariri. O livro traz cartas de indígenas e não indígenas “em uma conversa inesquecível em torno de um desejo de encontro com o Bem Viver”. Entre as 50 cartas, algumas, conforme os organizadores, foram escritas somente com imagens. Dessa antologia de cartas participam Ailton Krenak, Angela Mendes, Sônia Guajajara, Graça Graúna, Tim Ingold, Denilson Baniwa, Taquari Pataxó, Márcia Kambeba, Bianca Dias, Juvenal Payayá, Antonio Marcos Pereira, Rosinês Duarte, Stephanie Pujól, Paloma Vidal, Beth Rangel, Nego Bispo, Leonardo França, Arissana Pataxó e Milena Britto, entre outros. A obra foi lançada no dia 20 de Abril Indígea de 2021.

Que Nhanderu nos acolha,

Graça Graúna

(mulher indígena potiguara/RN)

Para saber mais, acesse gratuitamente; leia e compartilhe:

Dia de Pachamama

Imagem: Google

Terra
(Composição: Caetano Veloso)

Quando eu me encontrava preso
Na cela de uma cadeia
Foi que vi pela primeira vez
As tais fotografias
Em que apareces inteira
Porém lá não estavas nua
E sim coberta de nuvens…

Terra! Terra!
Por mais distante
O errante navegante
Quem jamais te esqueceria?…

Ninguém supõe a morena
Dentro da estrela azulada
Na vertigem do cinema
Mando um abraço prá ti
Pequenina como se eu fosse
O saudoso poeta
E fosses a Paraíba…

Terra! Terra!
Por mais distante
O errante navegante
Quem jamais te esqueceria?…

Eu estou apaixonado
Por uma menina terra
Signo de elemento terra
Do mar se diz terra à vista
Terra para o pé firmeza
Terra para a mão carícia
Outros astros lhe são guia…

Terra! Terra!
Por mais distante
O errante navegante
Quem jamais te esqueceria?…

Eu sou um leão de fogo
Sem ti me consumiria
A mim mesmo eternamente
E de nada valeria
Acontecer de eu ser gente
E gente é outra alegria
Diferente das estrelas…

Terra! Terra!
Por mais distante
O errante navegante
Quem jamais te esqueceria?…

De onde nem tempo, nem espaço
Que a força mãe dê coragem
Prá gente te dar carinho
Durante toda a viagem
Que realizas do nada
Através do qual carregas
O nome da tua carne…

Terra! Terra!
Por mais distante
O errante navegante
Quem jamais te esqueceria?
Terra! Terra!
Por mais distante
O errante navegante
Quem jamais te esqueceria?
Terra! Terra!
Por mais distante
O errante navegante
Quem jamais te esqueceria?…

Na sacada dos sobrados
Da velha são Salvador
Há lembranças de donzelas
Do tempo do Imperador
Tudo, tudo na Bahia
Faz a gente querer bem
A Bahia tem um jeito…

Terra! Terra!
Por mais distante
O errante navegante
Quem jamais te esqueceria?
Terra!