Ilustração: Graça Graúna.
Maraca aquarelada com café.

IFRN: a Terra ! a Vida! o Clima!

AGRADECIMENTO A proósito do tempo de celebrar a Terra, a Vida e o Clima nunca é demais agradecer o convite que eu recebi para participar do I Congresso Nacional do Meio Ambiente, realizado pelo Instituto Federal, Campus Ceará Mirim/RN.  Aqui, resgistro a minha gratidão ao Prof. Dr. Jorge dos Santos Lima, coordenador do Congresso que…

19 de abril: dia da resistência indígena

Em dezembro de 2021, a Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados aprovou projeto de lei que altera o nome do “Dia do Índio” (cf. Decreto-Lei 5540/43), celebrado em 19 de abril, para “Dia da Resistência dos Povos Indígenas”. A proposta é de autoria da deputada indígena Joênia Wapichana. Na opinião da autora…

Da nossa Mãe Terra e outras histórias

“POÉTICAS INDÍGENAS: da nossa Mãe Terra e outras histórias”  com a escritora e pesquisadora indígena Potiguara/RN, Graça Graúna.O curso irá abordar a poesia e saberes indígenas a partir do processo de elaboração da escrita e vivência na obra Literária de Graça Graúna. DATAS: 04, 11, 18 e 19 de Abril – às Segundas-feirasHORÁRIO: 09:30 às 11:00 Turno:…

De fio a pavio: Lilia

O texto que segue é um fragmento/releitura da crônica “re-tra-tos”, de minha autoria e que foi publicada pela UNICAMP no projeto p-o-e-s-i-a: um dossiê sobre poesia contemporânea. […] O tempo marcado pela memória alcança um pouco mais de um século de existência; 101 anos de idade, que hoje (17 de março) faria a minha mãe: Dona Noemia, chamada também…

Uma leitura crítico-afetiva de Heliene Rosa

O texto crítico-afetivo que segue (originalmente publicado em 02/02/2022, no Blog Feminário Conexões) foi escrito por Heliene Rosa (professra, crítica literária), contadora de histórias, amiga/irmã das Letras e grande colaboradora do Feminário Conexões. Desde já e sempre, registro os meus agradecimentos à querida Heliene pelo afeto e atenção aos meus escritos. Saudações indígenas, Graça Graúna…

Ao poeta Thiago de Mello

Em abril de 1964, quando era adido cultural da embaixada do Brasil, no Chile; Thiago de Mello (1926-2022), filho da floresta amazônica, escreveu o poema “Estatutos do homem”. No mesmo período, o poeta chileno Pablo Neruda traduziu esse poema que, desde então, transita em praças, teatros, escolas e segue até hoje pelo mundo; comovendo multidões…

Rezos e flores

Rezos e flores …faz alguns dias, troquei algumas palavras com pessoas muito queridas. Pessoas generosas me cercam! Falamos da “roda viva” que nos sufoca ao longo dessa pandemia;  da Amizade e do Esperançar que nos sustenta. Para essas pessoas e mais um monte de gente que está atravessando momentos muito difíceis, ofereço rezos e flores;…

Canção óbvia

Canção óbvia           Paulo Freire* Escolhi a sombra desta árvore para repousar do muito que farei, enquanto esperarei por ti. Quem espera na pura espera vive um tempo de espera vã. Por isto, enquanto te espero trabalharei os campos e conversarei com os homens. Suarei meu corpo, que o sol queimará; minhas mãos ficarão…

Fios do tempo em forma de haikai

FIOS DO TEMPO: RESISTÊNCIA INDÍGENA EM FORMA DE HAIKAI Escritora indígena do Rio Grande do Norte lança obra no Dia Internacional dos Direitos Humanos. por Isabel Taukane (povo Kurâ-Bakairi,  Drª em Cultura Contemporânea, pela UFMT) A produção de escritores indígenas tem levado o pensamento e o modo de vida indígena para púbico interessado pela temática…

Carregando…

Ocorreu um erro. Atualize a página e/ou tente novamente.


Siga meu blog

Receba novos conteúdos na sua caixa de entrada.