Imagem extraída do Google.
Uma muralha humana formada por 120 militares e policiais equipados com escudos, máscaras de gás, granadas e capacetes com viseiras impediu que um grupo de 500 indígenas invadisse ontem a área de segurança do Riocentro, onde ocorria a cúpula de chefes de Estado da Rio+20. Por muito pouco, não houve confronto. Intimidados com o aparato e chefiados pelo cacique Raoni, da etnia Kayapó, os indígenas desistiram da invasão. O secretário-geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, apaziguou os ânimos dos indígenas. Carvalho deixou o Riocentro para conversar com Raoni e outros líderes. Acabou os convencendo a deixar o local. Em troca, prometeu levar à cúpula uma comissão de 12 indígenas, que apresentaria um documento com reivindicações, entre elas constam: proteção dos direitos territoriais indígenas, fim da impunidade dos assassinos de lideranças indígenas e melhora das condições de saúde.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s