Imagem cedida pelo Autor

Tiago Nhandewa: contos de memórias e aventuras

Quando é chegada a Festa de Jesus Menino, as famílias, em geral, preparam seus presépios; decoram suas casas com árvores de Natal e estrelinhas; vão aos shoppings, trocam presentes e fazem a ceia. Esta descrição parece mesmo um desses comerciais com letras douradas e sinos reluzentes que passam na TV… mas, se prestarmos atenção: uma minoria procura festejar, com simplicidade, o verdadeiro Espírito Natalino. Outra minoria também procura oferecer o melhor de si ao olhar o outro sem preconceito. Mais um tanto de gente sensível, altruísta procura multiplicar a semente do amor; fazer o bem de forma desinteressada.

Contar histórias é também um ato amoroso; de ativar a memória, de relatar aventuras; de festejar, mesmo em tempos obscuros marcados pela Covid-19; pois a Esperança anuncia uma luz no fim do túnel.

Assim, à luz dos contos de memórias e aventuras, vivenciadas e escritas pelo parente Tiago Nhandewa; tomo a liberdade de convidar a todos/as para conhecer a história bem contada, bem ilustrada e bem escrita por um escritor Nhandewa que lhe convida a conhecer o seu livro (Quando eu caçava tatu e outros bichos); um importante livro de memórias e aventuras, “não importa a idade ou onde more sua criança interior”, como sugere a resenha (A causa de todas outras causas) escrita pelo próprio Tiago Nhandewa.

Amerindia, 23 de dezembro de 2020

Saudações indígenas,

Graça Graúna

Imagem cedida pelo Autor
Resenha compartilhada pelo Autor

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s