Do outro lado do Atlântico
a liberdade é uma flor
a liberdade é vermelha.

Do outro lado do Atlântico
os prantos se foram
e o canto agora é de paz
à Grândola, Vila Morena
onde é possível encontrar
um amigo em cada esquina
e em cada jardim um sonho
de alegria e esperança
pois há um cravo a brotar
Graça Graúna
25 de abril – pensando na Revolução dos Cravos
OBS: imagem da imprensa portuguesa disponível no Google

11 comentários sobre “Cravos de abril

  1. Palaavras de Ademario Ribeiro, no Overmundo:Que bela poesia, mana Graúna! Tu é mestra no poetar ternura, e esperança. Teus versos tecem fios-filhos da Teia do Esperançar que não estão nas varandas passivos – mas, construtos de uma vida tecida com amor e luta!Viva o Abril em nós, mês do debulho, das florações, das brotações do que há de vir!Beijos,Ademario

    Curtir

  2. E tudo começou – é necessário lembrar – quando uma pessoa anônima, fortaleza em corpo de mulher , colocou cravos na boca dos canhões .E o fuzil deu lugar ao sonho – abriu as portas da liberdade – ergueu um povo , mudou a história com o espectro da flor e sem o cheiro do sangue …Só um gesto …anônimo !Diz muito , não é ??

    Curtir

  3. Meu querido IvanCezar: seu comentario acerca do \”Cravos de abril\” é um verdadeiro poema. Por favor coloque-o em forma de poema no seu blog e/ou no Overmundo. Fico sempre honrada com a sua presença no meu blog. Paz em Ñanderu.

    Curtir

  4. Meu querido Jairo: sou sonhadora por natureza e realista também. pelo lado do sonho, peço sim a Ñanderu que a flor da liberdade e da justiça brote em nosso chão. Nosso Brasil anda muito maltratado. Viu só o que estão querendo fazer em Belo Monte? Paz em Ñanderu.

    Curtir

  5. GraúnaSobre esta Revolução em 1975 Chico Buarque, na música \”Tanto Mar\”, cantou:“Sei que estás em festa, pá./Fico contente./E enquanto estou ausente/guarda um cravo para mim”.Mais tarde em 1978:“Já murcharam tua festa pá,/mas certamente esqueceram uma semente/ nalgum canto do jardim”E cá eu penso:CravosBelicososVermelhosIncitandoA PazRevoluçãoEvoluçãoCom que armaÉ feitaComo se fazDitaduraSocialDemocraciaCabeça e peitoQuiçá!Quiçá?Quiçá…

    Curtir

  6. Meu querido Comandante: grande e inesquecível contribuição do nosso Chico Buarque de Holanda.Gostei também do seu poema e reitero suas boas palavras: pela paz, sim. Pela ditadura, jamais.Grata pela chegança. Paz em Ñanderu

    Curtir

  7. E com certeza brotará , amiga Graúna, porque as sementes de alegria e de esperança sempre germinam e se alastram nos canteiros do jardim dos nossos ideais. Adorei o teu convite e mais ainda o teu poema. Meus sinceros aplausos e beijos.Carlos Magno.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s