Clamor dos migrantes
Imagem: Revista Domtotal.com

Texto: Tatiana Félix (Jornalista da Adital)
Adital –

Depois do ataque sofrido (em 30 de setembro) pelo presidente do Equador, Rafael Correa, e do receio de que acontecesse um Golpe Político no país, o Comitê Internacional do Fórum Social Mundial das Migrações (FSMM) e a Secretaria Técnica do evento, divulgaram um comunicado confirmando a realização da 4ª edição do Fórum, a partir do dia 8 de outubro, em Quito, no Equador. “Toda nossa programação se mantém. (…) Não há razão para suspender suas viagens e participações”, confirmaram.
O objetivo do Fórum, que segue até o próximo dia 10, é reunir pessoas que se posicionam contrárias ao modelo de globalização neoliberal e à restrição do reconhecimento da cidadania e dos direitos civis, políticos, econômicos, sociais e culturais das pessoas migrantes, refugiadas, deslocadas e apátridas.
A expectativa é que movimentos sociais de todos os continentes, que compõem o Comitê Internacional do FSMM, participem do encontro em Quito e contribuam para apontar um caminho até a materialização de avanços constitucionais e legislativos no âmbito das migrações.
A proposta do FSMM é facilitar a articulação, de forma descentralizada e em rede, de entidades e movimentos a fim de alcançar ações concretas para melhorar as condições das pessoas deslocadas, tanto refugiadas ou imigrantes, como apátridas no mundo.
Neste contexto, busca-se a construção de um outro modelo de vivência social, de uma sociedade planetária construída por uma relação entre seres humanos e natureza, consolidando uma globalização solidária. Na pauta de discussões estão inseridos assuntos de relevância como Crise Global e fluxo migratório, o papel dos organismos multilaterais e internacionais frente à migração, Tráfico e Exploração de Seres Humanos e Processos de integração dos povos: articulação, resistências e organização.
Também serão debatidas situações difíceis que podem envolver a vida dos migrantes como: Racismo, xenofobia, discriminação e formas de exclusão, Migrações e Trabalho Escravo e as Novas formas de escravidão, exploração humana e servidão.
Sobre o que diz respeito aos Direitos Humanos e Migração, serão discutidos pontos como: Trabalhadores migrantes e direitos trabalhistas, Migração e direitos sexuais e reprodutivos, Desenvolvimento do Migrante como sujeito ou ator político e Fronteiras: muros, externalização e bases militares.
Histórico do FSMM
A primeira edição do Fórum Social Mundial das Migrações aconteceu no Brasil, em 2005, com foco sobre o tema “Travessias na desordem global”. A segunda edição, em 2006, foi realizada na Espanha e abordou a questão da “Cidadania Universal e Direitos Humanos. Outro mundo é possível, necessário e urgente”. Já o 3° Fórum, que foi realizado novamente na Espanha, tratou do lema “Nossas vozes, nossos direitos, por um mundo sem muros”.
Nota:
Ao publicar em meio impresso, favor citar a fonte e enviar cópia para: Caixa Postal 131 – CEP 60.001-970 – Fortaleza – Ceará – Brasil

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s